Dimensões de Qualidade de Dados: Acurácia

Olá!
Neste artigo vamos refletir um pouco sobre esta dimensão de qualidade: acurácia.
Importante salientar que este termo em inglês aponta para precisão, exatidão e fidelidade da informação.
Saliento aqui também que podemos considerar a acurácia uma dimensão de qualidade “guarda-chuva”. No caso do dado apresentar falhas em outras dimensões a acurácia quase sempre é comprometida.

Para espantar fantasmas como a ambiguidade,  múltiplas interpretações e consequentemente o descrédito, duas características devem ser criteriosamente definidas e acompanhadas ao longo de todo o ciclo de vida do dado/informação dentro da organização: formato e conteúdo.

Formato
O formato combina as regras do jogo. Estabelece as expectativas quanto ao conteúdo e a interpretação correta do dado atômico.
Podemos afirmar que seria um problema muito elementar não atentar para o formato do dado no momento de modelagem/criação. Sem dúvida,  o maior desafio é garantir que tudo que foi pensado neste momento  de modelagem possa caminhar juntamente com o dado em todo o seu ciclo de vida e, principalmente na manutenção e consumo do dado. Uma falha de interpretação de uma informação de data, formato americado ou formato europeu, pode causar uma confusão sem tamanho em relatórios gerenciais.

Conteúdo
O conteúdo do dado/informação deve ser o.maximo padronizado. As dimensões de validade e consistência entram em ação garantindo a acurácia da informação. O conteúdo do dado/informação deve estar aderente a uma consistência seja ela em relação a conteúdos que tem o mesmo significado bem como em relação ao registro em que este dado atômico está inserido. Duas escritas diferentes não podem apontar para um mesmo significado ou um registro de endereço não pode ter um Cep que não tem relação com o logradouro.
Com uma descrição clara do formato do dado, a dimensão validade da informação tem parâmetros ao menos iniciais para invalidar informações erradas antes que estas gerem consequências desastrosas à empresa.

image

Garantir 100% de acurácia é uma missão quase impossível. Porém isso não modifica o fato de continuarmos com o desafio de manter um nível aceitável dela.

Ferramentas e processos podem e devem ser implementados. Padrões de qualidade serão valiosos em conjunto com uma forte governança de dados de referência. A cada passo neste desafio, é essencial monitorar se os resultados estão aparecendo de forma assertiva. Se uma solução de análise e relatórios se mostra custosa e demorada, feedbacks do negócio através de ferramentas de visualização de dados já podem ser bem úteis.

Estes princípios comentados aqui estão detalhados no livro The Accuracy Dimension,  de Jack Olson.
O artigo abaixo cita mais alguns detalhes do que Jack Olson explica em seu livro, vale a pena conferir.

http://www.information-management.com/blogs/the-two-characteristics-of-data-accuracy-10025276-1.html?utm_campaign=blogs-jan%2029%202014&utm_medium=email&utm_source=newsletter

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s