The Art and the Science of Retailing; The March of the Algorithm, and your Chief Data Officer

http://blogs.gartner.com/andrew_white/2015/09/23/the-art-and-the-science-of-retailing-the-march-of-the-algorithm-and-your-chief-data-officer/

Advertisements

CRM data integration: Mobile

The true is: You will need a data integration solution (not a tool) in some moment… That is the challenge that you cannot get away.

Look below two very nice articles about CRM in mobile world ūüôā

http://searchcrm.techtarget.com/feature/Making-the-case-for-mobile-CRM-software

http://searchcrm.techtarget.com/feature/CRM-data-integration-still-hobbles-mobile?utm_medium=EM&asrc=EM_ERU_35462427&utm_campaign=20141021_ERU%20Transmission%20for%2010/21/2014%20(UserUniverse:%201119514)_myka-reports@techtarget.com&utm_source=ERU&src=5315473

Otimiza√ß√£o da informa√ß√£o: A busca da efici√™ncia operacional

Segundo atualização da pesquisa de benchmark sobre otimização da informação (http://www.ventanaresearch.com/research/benchmarkDetail.aspx?id=3820):

97% das organiza√ß√Ķes est√£o buscando otimizar suas informa√ß√Ķes ou entendem este ponto como essencial para disponibilizar informa√ß√Ķes de qualidade √†s √°reas de neg√≥cio e clientes;

25% est√£o satisfeitos com as solu√ß√Ķes de tecnologia usadas para acesso e otimiza√ß√£o das informa√ß√Ķes;

Existe um grande gap entre a necessidade de neg√≥cio e o que TI est√° entregando. Este gap gera nas empresas um novo e urgente foco: Otimizar a gest√£o das informa√ß√Ķes.

N√£o se trata de uma quest√£o tecnol√≥gica. Nem t√£o pouco da necessidade de uma nova metodologia ou ferramenta. A estrat√©gia operacional da gest√£o de informa√ß√Ķes precisa ser revisada √† luz das novas necessidades de neg√≥cio.

A orientação que gera maior eficiência operacional não está na sopa de métodos atuais mas sim no profundo conhecimento do negócio da organização. Este conhecimento servirá de guia para uma revisão de processo, que não se inicia no levantamento destes mas deriva do conhecimendo dos caminhos que geram os resultados reais para a organização.

O que precisa ficar claro primeiro: Quais s√£o os “carros chefes” da organiza√ß√£o? De onde vem o lucro da empresa?
De posse desta informação podemos fazer perguntas simples, saindo fora da caixa para descobrir novos e mais vantajosos caminhos:

analisando_resultados_descobrindo_novos_caminhos

Neste momento o resultado gerado pelas respostas pode assustar, abrindo nosso vis√£o para um n√ļmero grande de gaps e oportunidades de neg√≥cio. Agora a l√≥gica de prioriza√ß√£o a ser aplicada deve ser: menor esfor√ßo/tempo X maior ganho. Obviamente mantendo a sustentabilidade, ou seja, os resultados dever√£o ser perenes, salvo raras exce√ß√Ķes como por exemplo campanhas especificas de vendas.

As pequenas mas importantes vitórias nesta fase pavimentarão o terreno de confiança da organização nas próximas entregas, gerando comprometimento da maioria.

Há muitas formas de fazer isso usando métodos que conhecemos bem, porém minha intenção aqui é sair mesmo fora da caixa. Esvazie a cabeça e aborde cada processo com foco no que é necessário para gerar o resultado esperado peo negócio.

Até mais!