WEBINAR: MDM success – why do you need data governance?

http://inspire.stibosystems.com/mdm-success-why-do-you-need-data-governance

Advertisements

Data Governance: The Silent Hero to Achieving MDM Triumph

(…) Data governance combines people, processes and information technology to create seamless management of an organization’s data across the enterprise. It also puts formal management responsibilities in place to ensure accountability and reduce the likelihood of errors. (…)

http://www.information-management.com/news/data-governance-the-silent-hero-to-achieving-mdm-triumph-10025998-1.html?utm_campaign=daily-aug%2020%202014&utm_medium=email&utm_source=newsletter&ET=informationmgmt%3Ae2962312%3A2064122a%3A&st=email

Gestão de dados mestres: Essencial o comprometimento das áreas de negócio

Acredito que não seja novidade para ninguém que já esteja atuando na área de gestão de dados, porém sempre vale a pena relembrar alguns princípios básicos de um programa de gestão de dados mestres.

O comprometimento das áreas de negócio com este programa deve ser total. Não há como negar e hoje já temos pesquisas de várias instituições inclusive do Gartner que comprovam este princípio. Sem esta parceria muito clara e operante as dificuldades de agregar valor e efetivamente entregar algo se multiplicam e aumentam de tamanho a cada dia.

Outro princípio geralmente negligenciado é o das pequenas vitórias. Um programa de gestão de dados mestres em linhas gerais exige investimentos altos. Poucos executivos ou acionistas ficarão confortáveis em esperar anos para ter um primeiro retorno significativo do investimento.

Realizar um programa de gestão de dados mestres não consiste somente em gerar uma versão mestre dos dados e informações. Cada empresa e organização possui necessidades de negócio específicas.  Por mais parecidas que sejam com as necessidades já difundidas no mercado, o sucesso do programa não consiste somente em aplicar as melhores práticas e conceitos. O sucesso vem quando as necessidades específicas e estrategicas do negócio são atendidas.

Acredito muito que em uma liberdade maior ao estabelecer a dinâmica de trabalho em programas como este é fundamental. Do contrário,  corremos o risco de dar mais trabalho para o negócio do que solução aos gaps estratégico.

Rapidamente quero listar alguns outros princípios que estão sendo reconhecidos e identificados através das experiências em programas de gestão de dados mestres. Para informações mais profundas, peço para acessarem o link que coloco ao final deste artigo, onde estão estas informações.

1. Não tenha a expectativa  de implementação de uma gestão de dados mestres sem uma governança de dados estruturada e operante. Será como construir toda a estrutura de uma carro com alta tecnologia e não colocar motor e pneus.

2. Quando a iniciativa de fazer um programa de gestão de dados mestres não é originada a partir se uma necessidade específica do negócio, corremos o risco de usar esta implementação de forma errada. Nem todos os dados que tem diversas fontes de informação precisam de uma solução de dados mestres. Para uma assertiva aplicação desta grande ferramenta, uma parceria com as áreas de negócio da empresa é fundamental, não somente para o programa mas sim essencialmente para definir quais objetivos de negócio com o programa gerando competitividade e sustentabilidade.

3. Para fixar, relembrando o que já citei acima, valorize as pequenas vitórias. Os resultados a curto e médio prazo darão credibilidade ao programa e a garantia do apoio da liderança até o fim do programa. Seja criativo para isso e essencialmente parceiro do negócio.

Recomendo a leitura do artigo que me motivou a escrever este:

http://searchdatamanagement.techtarget.com/feature/MDM-program-needs-business-sense-to-be-successful

Boa semana!